+55 042 3226 1144

Blog

Vocação: 7 passos para fazer um bom discernimento

Vocação: 7 passos para fazer um bom discernimento

Cada um de nós tem uma vocação que, nada mais é do que um chamado especial de Deus para ser vivido ao longo da própria vida. Discernir a vocação é uma graça que Deus nos concede quando nos abrimos diante Dele de maneira humilde, buscando compreender quais são os Seus desígnios para nós. Você ainda não discerniu sua vocação? Então acompanhe estes 7 passos que podem auxiliar  nessa caminhada.

1. Busque compreender os planos de Deus pela oração

A oração é melhor maneira de nos aproximarmos de Deus, e se queremos compreender o Seu plano , mais próximos a Ele precisamos estar. São Gregório dizia: “Os homens, com a oração, merecem receber aquilo que Deus onipotente desde a eternidade decidiu dar-lhes”. É pela oração que alcançamos a vocação que Deus tem para nós.

Busque silenciar seu interior. Um exercício espiritual que pode ajudar muito neste processo de discernimento da tua vocação é a Lectio Divina – ou seja, a leitura orante da Palavra de Deus.

Coloque-se diante de Deus com humildade. A Palavra de Deus assegura que “A oração dos humildes penetra nas nuvens” (Eclo 35,21). Outro ponto importantíssimo é saber que nos aproximamos de Deus para nos relacionarmos com Ele e não necessariamente porque queremos isto ou aquilo. E corresponder ao chamado de Deus precisa ser um movimento interior de querer amá-Lo, agradá-Lo.

2. Procure um diretor espiritual

Um diretor espiritual será a voz de Deus para você. Ele o ajudará a progredir no processo do discernimento vocacional e no relacionamento com Deus  Santa Faustina Kowalska dizia que é uma graça de Deus poder contar com um diretor espiritual e reconhece que não saberia colocar os planos de Deus em ação se tivesse que caminhar sozinha em sua vida espiritual (cf. Diário de Santa Faustina, 721). Seguindo o exemplo da santa, reze pedindo a Deus a graça de ter encontrar um guia para a  alma. “Deus é tão misericordioso que — para ajudar a alma — Ele mesmo escolhe para ela um tal guia espiritual. E iluminará a alma para que saiba que este é aquele diante do qual ela deverá desvendar-se — nos mais ocultos recônditos da sua alma, como diante de Nosso Senhor” (Diário de Santa Faustina, 938).

3. Reconcilie-se com a tua própria história

Nossa história de vida é carregada de marcas. Algumas positivas e outras negativas, cada uma com seus significados. E quando falamos de discernimento vocacional, as marcas negativas podem interferir  nesse processo, pois erros e frustrações tentam nos roubar a paz. Há inclusive quem se sinta envergonhado pela própria história.

Viver uma vocação é buscar realizá-la com perfeição, independente de qual seja. Mas como pode ser possível isso se não conseguimos nos reconciliar com nossas perdas e contrariedades? Como podemos ser honestos com Deus na realização da vocação se não conseguimos admitir os erros e fragilidades do passado?

Esse processo de reconciliação pode vir a ser  doloroso, mas o Amor de Deus é o remédio. 

4. Viva bem o tempo presente

Cada dia de nossa vida é um presente que Deus nos oferece, e a maneira como vivemos é como retribuímos e agradecemos a Ele. Por isso aproveite bem todos os dias para se aproximar mais do Seu Amor Misericordioso. O passado não pode ser reescrito e um futuro pode ser bem escrito quando vivemos bem o presente.

Jesus nos deixou um importante testamento que foi narrado por São Mateus. “Olhai os lírios do campo”, “Olhai as aves no céu” – disse Ele para que possamos compreender que Deus, em Sua providência, cuida da sua criação para que não falte nada a ela, e que muito mais cuida de nós (cf. Mt 6,26-30).

“Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado” (Mt 6,34), por fim aconselhou o Mestre. Portanto, cuide para que em cada dia da tua vida você possa realizar a vontade de Deus. Ao sermos  obedientes a Ele nas pequenas coisas, conseguiremos realizar nossa vocação.  

5. Busque informações

Não é possível discernir a vocação sem conhecer as possibilidades que temos pela frente. Portanto, pesquise sobre as vocações existentes na Igreja: matrimônio, vida religiosa, vida consagrada e sacerdotal. Visite seminários e conventos e procure fazer amizade com quem segue essas vocações. Da mesma forma, aproxime-se de casais que vivem o dom do matrimônio. Enfim, procure conhecer os anseios e a realidade de cada vocação. Essas conversas são sempre valiosas e certamente te ajudarão no processo de discernimento.

6. Coloque-se na realidade de cada vocação

Um exercício que pode auxiliar no discernimento da sua vocação é imaginar-se na realidade de cada vocação. Nesse processo, tente descrever para si mesmo como seria a sua vida. A que se dedicaria. Quais seriam tuas metas e objetivos – tanto espirituais quanto de vida.

Ao imaginar-se, observe atentamente quais são os sentimentos que cada uma dessas possibilidades desperta em você. Esses sentimentos são importantes indicadores sobre a vocação que Deus reservou para você.

7. Esteja aberto e atento aos sinais de Deus

Muitas vezes a resposta que procuramos está bem à frente, mas não conseguimos enxergá-la porque a procuramos com os olhos humanos e não a partir da fé. Deus não vai escrever um bilhete de próprio punho para você, não vai balbuciar ao pé do  ouvido. Mas Ele pode se comunicar por intermédio de outras pessoas ou por meio de situações que acontecem em sua vida. A palavra de um amigo pode ser, muitas vezes, um recado de Deus para você.

Mas como saber quando é de Deus? Simples: Deus não deixa incerteza em nós. Se você viu, leu ou ouviu algo que te trouxe o gozo da paz, saiba que é de Deus. Então, quando o assunto é discernimento vocacional, esteja com o coração aberto para receber os sinais de Deus e busque o auxílio do Espírito Santo para compreender qual é a Sua vontade.

Independentemente de qual tua vocação, ao reconhecê-la consagre-a a Deus, para que dê os frutos que Ele espera.

Post a comment