+55 042 3226 1144
atendimento@copiosaredencao.org.br

Blog

Procura-se uma vocação!

Procura-se uma vocação!

Você tem uma vida intensa dentro da sua paróquia, ama estar dentro da Igreja e vem sentindo em seu coração um chamado da parte de Deus! Porém, ainda não conseguiu discernir para qual vocação Ele te chama.

Você experimentou o amor misericordioso de Jesus e deseja segui-Lo, mas não sabe por qual caminho andar!

A inquietação desse chamado deve estar causando alegria e aquecendo seu coração que, dia a dia, deseja estar cada vez mais perto de Deus.

Contudo, muito provavelmente você sente também um desconforto por não saber ao certo qual é sua vocação e o que pode acontecer na tua vida. Acalme teu coração! Você não está sozinho, não foi e não será o único a passar por isso.

É justamente para te ajudar a discernir a tua vocação que hoje apresentamos a você um itinerário. São ações simples – você verá –  mas capazes de clarear tua mente e te ajudar a organizar suas emoções e determinar seus passos.

Vocação é dom, é serviço

Todos nós recebemos de Deus como dom, ou presente, uma vocação. É por meio dela que servimos ao Senhor e aos irmãos.

“Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado” (Jr 1,5). Que gesto lindo, da parte de Deus. Pleno de amor!

No serviço de nossa vocação, seja ela qual for, nos doamos ao outro em vista da construção do Reino de Deus. Você vai compreender melhor como isso acontece mais adiante, quando falarmos sobre cada uma das vocações.

Voltemos ao fato de que você está buscando um auxílio para desvendar sua vocação. Provavelmente essa realidade esteja inquietando o seu coração.

Algumas perguntas devem rondar seus pensamentos incansavelmente:

  • À que o Senhor me chama?
  • Como vou desvendar esse chamado de Deus?
  • O que posso fazer para discernir a minha vocação?
  • Por onde começar para descobrir quais são os planos de Deus para a minha vida?

Itinerário para descobrir a vocação

O Papa Francisco sabiamente traduziu em algumas palavras a importância de discernir a vocação. Segundo ele, na vocação “está em jogo o sentido da minha vida diante do Pai que me conhece e ama, aquele sentido verdadeiro para o qual posso orientar a minha existência e que ninguém conhece melhor do que Ele” (Gaudete et Exsultate, 170).

Ainda de acordo com o Papa Francisco, o discernimento da vocação “é uma tarefa que requer espaços de solidão e silêncio, porque se trata de uma decisão muito pessoal que mais ninguém pode tomar no nosso lugar” (Christus Vivit, 283).

Enfim, para descobrir sua vocação você precisa:

Busque uma vida de oração  

Certamente você já possui gosto e amor pela oração. Mas é preciso estreitar-se ainda mais na intimidade com o Senhor, principalmente quando se vive um processo de discernimento vocacional.

Procure rezar com a Palavra de Deus diariamente, meditando-a e realizando-a em sua vida. Como? Seguindo os conselhos do próprio Cristo. Quer uma dica? Comece meditando as “bem-aventuranças” apresentadas por Jesus no Sermão da Montanha. Você encontra no Evangelho de São Mateus 5,3-16.

Contudo, mais do que rezar, você precisa silenciar-se diante do Senhor. É no silêncio que Ele fala ao seu coração. Esvazie-se de si mesmo e deixe que Deus preencha você com o Seu amor e misericórdia.

Conheça as vocações da Igreja

Não é possível descobrir qual o desígnio de Deus para a sua vida sem antes saber quais são as vocações da Igreja e o que compete a cada uma delas.

Por isso, procure informar-se. Pode ser na internet, em livros, ou até mesmo com um sacerdote, sobre as particularidades de cada vocação.

Nossa Igreja é rica de vocações! Temos a vocação sacerdotal, religiosa, leigo e leigo consagrado, e a vocação matrimonial.

Viver uma vocação é doar-se ao Senhor servindo a Igreja e aos irmãos. 

O padre não vive sua vocação para si mesmo, mas para as ovelhas do seu rebanho, conduzindo-as ao Bom Pastor; o religioso igualmente se dedica a fazer o bem ao próximo por amor a Cristo, obedecendo ao seu mandamento que nos pede para amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como si mesmo (cf. Mc 12,29-34); o que vive a vocação ao matrimônio empenha-se por formar uma família cristã onde um cuida da espiritualidade do outro e juntos testemunham as maravilhas do Senhor; o leigo deve empenhar-se por ser no mundo alguém que faz a diferença, que aponta para o amor de Deus.

Na vivência da vocação, devemos ter consciência de algo determinante: não sou o que sou por mim mesmo. Mas, sou o que sou para colaborar com Cristo.

Buscar a ajuda de um diretor espiritual

A vocação para a qual o Senhor te chamou é pessoal, e apenas você pode discerni-la. Contudo, poder contar com ajuda de alguém experiente é uma graça de Deus!

Boa parte dos santos e santas da Igreja que viveram radicalmente sua vocação contam em seus escritos que tiveram um auxílio na sua caminhada vocacional.

Santa Faustina Kowalska, religiosa que recebeu de Jesus a missão de recordar ao mundo que Deus é misericordioso, também teve a ajuda de um diretor espiritual. Ela escreveu: “Dou graças a Deus sem cessar por me ter dado um diretor espiritual. Sinto agora que eu não saberia caminhar sozinha na vida espiritual” (Diário de Santa Faustina, 721).

Sendo assim, procure você também por um sacerdote para ser seu diretor espiritual. Confie a ele as suas dúvidas e as inspirações que Deus te dá. Seu diretor será como um farol que vai iluminar sua caminhada vocacional.

Post a comment