+55 042 3226 1144
atendimento@copiosaredencao.org.br

Blog

Jovens católicos: Entenda por que você deve pensar na sua vocação

jovens-católicos

Todos os jovens, em algum momento da vida, passarão pela fase de tomada de decisões que impactarão o futuro de suas vidas. Neste momento surgem diversas dúvidas acerca do que fazer. A melhor forma de responder a essas dúvidas é com um bom discernimento vocacional. Segundo o Papa Francisco, para que o jovem católico conheça a vocação a qual é chamado, é preciso passar pelo processo da escuta, do discernimento e da vivência do chamado de Deus.

A quebra do paradigma de que vocação significa ser padre ou freira tem ajudado muitos jovens na hora de discernir e escolher sua vocação profissional e religiosa. Atualmente, é comum vermos profissionais da educação e da psicologia aplicarem testes de aptidão vocacional com o objetivo de ajudar meninos e meninas nas escolhas da vida vocacional. Nem sempre os resultados saem de acordo com o que a pessoa realmente sente, mas ajuda. Aqui apresentamos a você dois chamados que, se respondidos e vividos com fidelidade, são capazes de transformar o mundo. Confira!

O chamado à vida profissional

Diante do chamado à vida profissional, muitos jovens escolhem a profissão de acordo com o que lhes darão mais satisfação e prazer. Outros optam por profissões que lhes darão melhor retorno financeiro. Tudo isso é comum aos jovens quando se veem diante do vestibular. Mas, para o jovem católico, antes de pensar que a atividade profissional deve ser compreendida como vocação.

O  Dicionário Aurélio descreve o significado da palavra vocação como “inclinação que se sente para alguma coisa; Disposição natural do espírito; Inclinação para a vida religiosa” (Cf. Dicionário do Aurélio). Percebemos que a vocação não se caracteriza apenas para atividades religiosas. Portanto, a decisão pela vida profissional, requer do jovem uma inclinação ao que se sente chamado e uma disposição natural para tal atividade.

 

Ter uma vida profissional equilibrada e satisfatória significa que você discerniu bem suas aptidões. Entretanto, para chegar a esse nível, o jovem precisa passar pelo autoconhecimento. O autoconhecimento faz com que ele perceba, de fato, seus dons e talentos que, somados à atividade profissional, o realiza. Mas, também é preciso compreender, que esta realização não pode estar centralizada ao que sua profissão dará de retorno financeiro, pois há uma tendência de se ganhar muito, não ser feliz e muito menos, acrescentar mudanças significativas no mundo.

O chamado à vida consagrada

Em se tratando do chamado a vocação à vida consagrada, o Santo Padre, Papa Francisco, nos apresenta na Mensagem para o 55º Dia Mundial de Orações pelas Vocações os passos citados acima “escutar, discernir e viver o chamado” como via de não errar na escolha pela vocação cristã. Esta escolha, é antes de uma resposta nossa, um chamado de Deus.

Pensar na vocação pode gerar medos e incertezas. Mas, certamente, te levará a refletir sobre o que te atrai e o que te fará feliz. Também te fará entrar no mistério da misericórdia de Deus, que resolveu te escolher para ser amigo dele e servir em seu Reino. Ainda dentro deste mistério, o Papa nos diz que se faz necessário não acelerar os passos, pois isso pode comprometer o silêncio interior e a escuta do Deus que chama no silêncio.

Ao descobrir a vocação à vida consagrada, respondê-la e vivê-la, o jovem faz da dimensão profética do seu chamado um sinal de transformação do mundo. Se ele viver fielmente a vocação passa a comunicar ao mundo, em nome de Deus, palavras de conversão, esperança e consolo, diz Francisco.

É por isso que, você, jovem de Deus, deve pensar na sua vocação. Não só pensar, mas acolhê-la e vivê-la, assumindo com alegria a missão que ela traz, vivendo sua vocação profissional e/ou religiosa com todas as suas forças, sendo “Sal da terra e Luz do mundo” (Cf. Mt 5,13).

Ajude outros jovens a discernir a vocação. Compartilhe este post!

 

Leia também: Jovens Católicos e o discernimento vocacional

 

Post a comment