+55 042 3226 1144
atendimento@copiosaredencao.org.br

Blog

5 curiosidades sobre a Festa da Misericórdia

5 curiosidades sobre a Festa da Misericórdia

A Festa da Misericórdia é uma celebração litúrgica recente na história da Igreja. Seu objetivo é recordar a todos que Deus é um Pai misericordioso, e não um Deus que castiga. Veja 5 curiosidades sobre esta Festa que é celebrada no segundo domingo do Tempo Pascal – também conhecido como o Domingo da Misericórdia.  

1. Foi o próprio Jesus quem pediu a Festa

A celebração da Festa da Misericórdia está vinculada a devoção a Jesus Misericordioso. Essa devoção é fruto das aparições de Jesus a Santa Faustina Kowalska, uma religiosa polonesa, nos anos 30, pouco antes da Segunda Guerra Mundial. Numa das aparições, Ele manifestou um pedido especial: “Eu desejo que haja a Festa da Misericórdia” (Diário de Santa Faustina, 49). Em outro momento explicou que essa festa é um “refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores”, e encorajou: “Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate” (Diário, 699).

2. Foi o Papa São João Paulo II que instituiu a Festa da Misericórdia

São João Paulo II foi um importante incentivador para a propagação da devoção a Jesus Misericordioso. Em 1993, ele beatificou a Irmã Faustina e no ano 2000 instituiu a Festa da Misericórdia no calendário litúrgico da Igreja. Nessa mesma ocasião, São João Paulo II canonizou a Irmã Faustina. Na homilia dessa celebração, ele expressou: “O que nos trarão os anos que estão diante de nós? Como será o futuro do homem sobre a terra? A nós não é dado sabê-lo. Contudo, é certo que ao lado de novos progressos não faltarão, infelizmente, experiências dolorosas. Mas à luz da misericórdia divina, que o Senhor quis como que entregar de novo ao mundo através do carisma da Irmã Faustina, iluminará o caminho dos homens do terceiro milênio” (homilia em 30 de abril de 2000).

3. Aos participantes da Festa da Misericórdia é garantida indulgência plenária

O próprio Jesus prometeu que aquele que participar da Festa da Misericórdia “alcançará o perdão total das faltas e dos castigos” (Diário, 300), e ainda manifestou: “Desejo conceder indulgência plenária às almas que se confessarem e receberem a santa Comunhão na Festa da Minha misericórdia” (Diário, 1109). A Igreja estabelece um passo a passo para alcançarmos esse presente especial que o Senhor deseja nos conceder na Festa da Misericórdia: confissão sacramental, refletir sobre o mistério da Misericórdia Divina, receber a santa Eucaristia; e rezar nas intenções do Papa (um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Creio).

4. Existe uma novena de preparação, que começa na sexta-feira da Paixão

Jesus não quis que simplesmente celebrássemos a Festa da Misericórdia, Ele desejou que a celebração fosse precedida de uma novena que deve começar na sexta-feira santa, pedindo pela conversão do mundo, para que todos conheçam a Sua misericórdia e a sua infinita bondade. Foi também o próprio Jesus quem ditou para Santa Faustina cada uma das orações que compõem a novena à Divina Misericórdia. Nos dias da novena nós pedimos graças e bênçãos especiais para um determinado grupo: os pecadores, os humildes, os piedosos, os sacerdotes, os pagãos, os que estão afastados da Igreja, os devotos da Misericórdia, as almas do purgatório e os tíbios (aqueles que têm sua fé enfraquecida). Durante a novena, o Terço da Misericórdia deve ser rezado após a oração de cada dia. “Pela recitação desse Terço, agrada-Me dar tudo o que Me peçam”, afirmou Jesus a Santa Faustina (Diário, 1541).

5. A imagem de Jesus Misericordioso deve ser abençoada na Festa da Misericórdia 

Quando manifestou a Santa Faustina que desejava a Festa da Misericórdia, Jesus também

lhe pediu a pintura de uma imagem. A religiosa deveria providenciar um quadro do Senhor misericordioso, conforme ela O via, com a inscrição “Jesus, eu confio em Vós”. Essa imagem, hoje mundialmente conhecida, na Festa da Misericórdia deve ser exposta publicamente para veneração. “Quero que essa imagem, que pintarás com o pincel, seja abençoada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia. Por meio dessa imagem concederei muitas graças” (Diário, 49 e 570).

Post a comment