+55 042 3226 1144
atendimento@copiosaredencao.org.br

Blog

Como viver a santidade na vida familiar?

Com certeza, você já se fez esta pergunta: Como vou viver a santidade na vida familiar? Aqui vamos conversar sobre esse assunto e ajudar você a percorrer esse caminho com alegria e esperança.

 

Família, Santuário da vida!

 

Foi assim que o Papa São João Paulo II se referiu às famílias, chamou-as de Santuário da vida. Esse é o nosso ponto de partida, uma vez que foi de uma família que nós viemos e é nela que iremos aprender sobre a santidade.

Agora, precisamos revisitar o conceito de família nas escrituras e no catecismo da Igreja, porque a família nos comunica a vida. Apesar das numerosas crises que vem passando, ela continua sendo o “desejo vivo das jovens gerações”.

As Sagradas Escrituras nos dizem: “Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa” (Mt 19,5). Neste sentido, a família, segundo a Palavra de Deus, é uma saída de si para o outro em união de amor.

No Catecismo da Igrejaa família é a comunidade na qual, desde a infância, se podem assimilar os valores morais, tais como honrar a Deus e usar corretamente a liberdade. A vida em família é iniciação para a vida em sociedade.

Logo, a família é fundamental! E para a Igreja e para a sociedade, a santidade na vida familiar é geradora de bem-estar, de equilíbrio e mais solidariedade entre as pessoas, porque a vivência da santidade se espalha para todos os lugares.

 

E o que é santidade?

 

O Papa Francisco nos diz: “Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra”. 

Quer aprofundar sobre a evangelização? Acesse: 9 dicas do Papa Francisco para evangelizar

Essas palavras simples e profundas do Papa nos ensinam sobre o conceito de santidade hoje e nos mostram que é no cotidiano que aplicamos cada uma delas a fim de alcançarmos a santidade na família. 

Portanto, a santidade não é um ato heroico, mas uma decisão pessoal, por causa de um encontro com uma pessoa: Jesus Cristo. E a santidade é impregnada em nós a partir de gestos e sacrifícios que fazemos em benefício da nossa família e da família do outro.

Agora vamos colocar em prática a santidade na família.

 

A família é um semáforo para a santidade

 

Às vezes a gente pensa que, porque estamos rezando um pouco mais, já estamos mostrando sinais de santidade. Na verdade é o contrário. Só sabemos se estamos no caminho da santidade quando saímos da oração.

Por isso a família é o semáforo da santidade! Parece estranho, mas vamos compreender melhor. O semáforo nos aponta três ações: Atenção, Pare e Siga (amarelo, vermelho e verde). 

Quando saímos da oração, sempre somos postos à prova na família! Imagine que você se depara com alguém chateado em casa, com brigas, situações financeiras difíceis ou talvez seja você o mal humorado daquele dia! 

No entanto, quem busca viver a santidade, irá se perguntar: o que essa situação está me falando? Devo parar, seguir ou refletir. Aí está o semáforo! Quem deseja a santidade na família está sempre atento aos sinais simples e profundos que ela nos favorece ao longo do caminho.

E são diversas as oportunidades de santidade que encontramos na família. Por isso, vamos elencar três atitudes que ajudam a viver a santidade na família. São eles:  a paciência, o diálogo e a espiritualidade

 

A paciência tudo alcança 

 

O Papa Francisco nos diz: “Uma pessoa mostra-se paciente quando não se deixa levar pelos impulsos interiores e evita agredir. A paciência é a qualidade do Deus da Aliança, que convida a imitá-lo também na vida familiar”.

Ele ainda nos explica que ter paciência não significa que vamos tolerar agressões morais ou físicas. Mas o problema surge quando exigimos que as pessoas sejam perfeitas ou quando nos colocamos no centro, esperando o cumprimento de nossa vontade.

A família é o lugar da diversidade, mesmo tendo os mesmos pais, são muitas as diferenças entre os irmãos. Portanto, o exercício da paciência, da tolerância e da gentileza são fundamentais na família e nos proporcionam a santidade na família.

 

O diálogo desfaz a indiferença

 

Já parou para pensar quantos desentendimentos seriam evitados se parássemos para conversar? O diálogo é o instrumento de paz da geração de hoje, exatamente porque não se encontra facilidade para isso e  se investe pouco em atenção ao outro.

O que diálogo ensina sobre santidade na família? Tudo. Significa que o amor pela pessoa está em primeiro lugar como nos pede Jesus: amai-vos uns aos outros. Experimente colocar em prática o diálogo, não apenas como meio de reconciliação, mas para saber como o outro passou o dia e ouvi-lo em seus desafios.

Assim, colocar o diálogo em prática é viver a santidade na família.

 

A espiritualidade do amor familiar

 

O Papa Francisco encerra a Exortação sobre o Amor na Família dizendo que a espiritualidade do amor familiar é feita de milhares de gestos reais e concretos. O Papa fala sobre espiritualidade e não apenas sobre a oração!

Então, como posso viver a santidade na vida familiar pela espiritualidade? Primeiro, sendo autêntico! Ninguém se esconde da família. Ela é o primeiro lugar da autenticidade. Não há máscaras, logo há o amor verdadeiro e se o amor anima essa autenticidade, o Senhor reina na família com sua alegria e a sua paz. 

Segundo, aproveitar as oportunidade para rezar! Existe alguém desempregado ou doente em sua família? Chame para rezar, para partilhar a Palavra de Deus, rezar o terço e assim todos vocês vão experimentar o poder de Deus e juntos serão impulsionados à santidade. 

E como viver a espiritualidade na minha família? Acesse:  6 dicas oracionais para rezar em casa  

Por fim, o exercício dessas três virtudes falam mais que palavras! Decida-se por sua família e coloque em prática a santidade!

Post a comment