+55 042 3226 1144

Blog

Catequista: 5 erros que você precisa parar de cometer

Catequista: 5 erros que você precisa parar de cometer

Chamados para o serviço da comunidade, o catequista é um instrumento de Deus para a evangelização de crianças e adolescentes, preparando-as para o Sacramento da Eucaristia, consequentemente também para a confissão e a confirmação das promessas do batismo no crisma.

Os desafios podem ser inúmeros. Tratar sobre a doutrina da Igreja, abordando a teologia, pode gerar no catequista receio e medo de não se capaz. Mas, com o auxílio do Espírito Santo, aliado ao estudo da Palavra de Deus, leituras e pesquisas, é possível amenizar essa insegurança. Afinal, Deus não escolhe os capacitados, mas capacita seus escolhidos!

Apesar de todo seu empenho, é comum o catequista cometer alguns erros que, infelizmente, podem prejudicar seu desempenho e, mais do que isso, comprometer o engajamento do catequizando com a Igreja. Se você é catequista e deseja dar o seu melhor, pois é por amor a Deus que está a Seu serviço, esteja atento aos erros que listamos abaixo.

1. Pouca oração

Como catequista, você já deve ter a compreensão do valor da oração. Talvez esteja faltando reconhecer a sua importância para a sua vida pessoal e para a sua missão na Igreja. Sendo a oração um caminho de amizade com Deus, sem ela  passamos por um resfriamento da fé. Ora, como o catequista será capaz de cativar corações para Deus se ele próprio não vive intensamente sua fé?

2. Não dar testemunho coerente do amor a Cristo

É impossível dar testemunho de bom cristão sem respeitar os mandamentos de Deus. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é que me ama” (Jo 14,21). Os catequizandos vivem um processo de descoberta da fé e estão atentos aos que os cercam, buscando referências para seguir. Um catequista que não seja um cristão coerente pode causar estragos difíceis de reverter na vida de seus catequizandos.

3. Não buscar ser fiel ao que a Igreja ensina para transmitir aos catequizandos 

O catequista não está em sala para passar conteúdos que ele julgue necessário, mas sim para transmitir os ensinamentos da nossa santa Igreja. É preciso ser fiel ao material didático adotado pela comunidade. Isso parece ser óbvio, mas, acredite, há catequistas que pensam que têm autonomia para abordar assuntos diferentes nos encontros.  É claro que o que acontece em nossa sociedade muitas vezes toca em questões relacionadas ao cristianismo e podem ser incorporados à didática da catequese. Porém, sempre respeitando o conteúdo previsto nos materiais. Um exemplo de assunto que, vez ou outra, vem à tona na mídia, e que é importante ser abordado pelo catequista, é a questão dos maus tratos com os idosos e a descriminalização do aborto. Ambos são temas delicados que devem ser abordados sob a luz da valorização vida, conforme a Igreja prega.

4. Deixar-se levar por ideologias mundanas e trazê-las para os encontros catequéticos

Vale recordar que ideologia é um conjunto de ideias (mitos, tradições, princípios), sustentado por um grupo social que defende interesses próprios em diferentes âmbitos (morais, políticos, econômico, religioso, etc). Como catequista, você já deve compreender bem qual é a ideologia cristã, porém, é necessário dizer que outras ideologias têm como “deus” o dinheiro, o progresso, a liberdade sem a religiosidade, etc. São ideologias que podem sujar a concepção do catequizando a respeito o cristianismo.

5. Não ouvir seus catequizandos

O catequista precisa ser acolhedor. Isso não se resume a abraçar seus catequizandos, mas em observá-los e saber ouvi-los. Infelizmente, há crianças e adolescentes que participam da catequese, mas suas famílias estão afastadas da Igreja. Matricularam o filho para cumprir uma obrigação! O catequista tem o poder de reverter essa situação por diversos meios, basta que esteja atento para saber identificar os sinais. Há também quem passe por algum tipo de opressão ou dificuldade em casa e pode manifestar sua angústia nos encontros de catequese. O catequista que sabe observar e ouvir consegue dar apoio e ajudar o catequizando a enfrentar seus problemas.

Se você se identificou com um desses erros, não se aflija, basta corrigir-se.  Perseverança, boa vontade e amor são o segredo para o bom catequista!

Post a comment